A MARCA DA BESTA


Em 1968, Dr. Carl Sanders, Ph.D. em engenharia chefiou um grupo de pesquisa com mais de 100 cientistas, engenheiros, e médicos, que envolvia muitas instituições de Centros Médicos de San Jose a Boston. O objetivo do grupo era desenvolver um “microchip” que, implantado sob a pele de um indivíduo, permitisse ao governo a sua rápida identificação e localização. O projeto foi financiado parcialmente pelo Governo dos EUA e pelas empresas privadas, dentre as quais a Motorola e a General Electric. 
O envolvimento de Dr. Sanders neste grupo foi acidental, pois a meta inicial era projetar um dispositivo biotecnológico que ajudasse a solucionar problemas médicos. Com esse intuito, o grupo desenvolveu o “chip” RAMBO que aumenta o fluxo de adrenalina num corpo. Outro dispositivo foi desenvolvido para deter a saída de glândula pituitária que causa o fluxo de estrogênio. Ainda um outro “chip” foi projetado para produzir eletricidade em certas localidades estratégicas do corpo, a fim de induzir mudanças de comportamento.  O uso deste “chip” pode ser chamado de acupuntura eletrônica. Porém o projeto original não vingou e a meta foi subseqüentemente modificada para o desenvolvimento de um “chip” de identificação.

 ENCONTRAMOS EM QUASE TODOS OS CÓDIGOS DE BARRA


E fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte, e fez que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, lhes fosse posto um sinal na mão direita, ou na fronte.                                                                 Apocalipse 13:16
                                                                                      Fabbioanjos